CIRCUITO JUNINO

sexta-feira, 17 de fevereiro de 2017

Carla Machado: irresponsabilidade da gestão anterior impede retomada de programas

(Foto: Ralph Braz | Pense Diferente)
A prefeita de São João da Barra, Carla Machado (PP), comentou em seu perfil no Facebook sobre um acordo firmado com a empresa PortLimp, que atuou no município na gestão do ex-prefeito Neco (PMDB), mas teve o contrato encerrado no decreto de emergência. A empresa ficou sem receber da Prefeitura e sem pagar aos funcionários terceirizados pelo município. Além de falar sobre o acordo, Carla deixou claro que não será possível retomar com programas criados nos seus dois outros mandatos. O Cartão Alimentação e o Vale-transporte do servidor, o Cartão Universitário (bolsas para faculdade), Cartão Cidadão (transferência de renda) e o Aluguel Social estão suspensos e sem previsão de retorno. Segundo a prefeita, a situação chegou a esse ponto devido à “irresponsabilidade desse governo incompetente que nos antecedeu”.

Com relação ao acordo, a prefeita explico que o município “conseguiu da Justiça do Trabalho a condição de nesse momento arcar com os salários e benefícios dos terceirizados da PortLimp referente ao mês de maio de 2016, no montante de 800 mil, evitando dessa forma um arresto de 12 milhões”. Carla salientou que se o arresto fosse feito, “sérios problemas na área da saúde ocorreriam e também estaríamos inviabilizados em manter os salários dos servidores em dia”.

No decorrer da postagem (confira abaixo), ela citou a inviabilidade da retomada de programas municipais. “Pena que devido à irresponsabilidade desse governo incompetente que nos antecedeu, não será possível restabelecer no momento os vários programas que criamos em nossa gestão (Cartão Alimentação, Vale Transporte, Cartão Universitário, Cartão Cidadão, Aluguel Social...) para atender como gostaríamos os estudantes universitários, aos funcionários e ao nosso povo“.

Ela voltou a citar que encontrou cerca de R$ 200 milhões em dívida na Prefeitura, “do sucateamento, da desordem generalizada da máquina administrativa, fora os cerca de 25 milhões de dívidas na Previdência Social”. Além da dívida com a PortiLimp, a Prefeitura ainda tem pendências herdadas da gestão anterior com as terceirizadas Mothé e Mothé, Átrio e a OS Humanizada (Centro de Emergência). Sem contar o salário e o 13º dos contratados e comissionados da gestão anterior.

Carla ainda destacou que nesse início de gestão já foi possível quitar o pagamento da metade do 13º e do pagamento de dezembro dos servidores efetivos.






Fonte: Facebook | Blog do Arnaldo Neto