CIRCUITO JUNINO

domingo, 20 de dezembro de 2015

SEMÁFORO ENFERRUJADO CAI E FICA PRESO EM FIAÇÃO

(Foto: Carlos Faria Café)
Um semáforo, incluindo sua base (pedestal e suporte), localizado na esquina das ruas Tenente Coronel Cardoso (antiga Formosa) e Marechal Floriano (ex-Ouvidor), no centro de Campos, caiu na tarde dessa sexta-feira (18), após sua base, corroída pela ferrugem, quebrar. O semáforo ficou sustentado, apenas, pelos fios de um poste de iluminação pública instalado na esquina. A queda do semáforo causou uma série de flagrantes — captados pela Folha da Manhã, nos últimos dias — de bases de semáforos corroídas e sem sinais de que pudessem ter recebido manutenção.

— É impressionante; e um absurdo! Como você deixa a base do semáforo numa situação de corrosão? Isso gera, à população, o risco de acidentes graves. E esse não é o primeiro semáforo que cai — outros já caíram, há pouco tempo, em Campos, pelo mesmo motivo: a falta de um cuidado mínimo; a ausência de uma simples manutenção preventiva — comentou um dos pedestres que passavam no local, minutos após a queda, o bancário Hugo Diniz, 51 anos.

O tráfego de carros na Marechal Floriano foi interrompido naquela esquina, e foi redirecionado para seguir pela Tenente Coronel Cardoso. Um guarda civil municipal orientou os motoristas, ciclistas, motociclistas e pedestres que passavam pelo local e outros guardas isolaram o trecho, com fita.

Na última quarta-feira, a Folha publicou uma matéria sobre a situação precária da estrutura dos semáforos de Campos (que engloba, além das bases corroídas, o próprio não funcionamento e defeitos das luzes amarela, verde e vermelha). Nessa matéria específica, o arquiteto e urbanista, Renato Siqueira afirmou entender que os semáforos do município deveriam ser de aço galvanizado e ter formatos cilíndricos.

De acordo com ele, o aço carbono, material que compõe os semáforos atuais do município, é sujeito a ferrugem, o que não acontece com o aço galvanizado e tem maior durabilidade.







Fonte: Folha da Manhã