CIRCUITO JUNINO

sexta-feira, 11 de novembro de 2016

Hospital não recebe verbas da prefeitura e teme falta de materiais

(Foto: Ralph Braz | Pense Diferente)
A direção do Hospital Plantadores de Cana (HPC), em Campos, divulgou um comunicado interno em que informa aos funcionários que os salários não foram pagos por falta de repasses de verbas da Prefeitura de Campos. Ainda segundo o informe, a situação também coloca em risco o reabastecimento de insumos que garantem atendimentos aos pacientes. O Terceira Via teve acesso ao documento.

Segundo a administração do hospital, a Prefeitura de Campos não fez o pagamento da receita municipal referente ao mês de agosto e o valor deveria ter sido pago até o dia 15 de Outubro.

“A administração vem adotando medidas como empréstimos bancários para cobrir folha de pessoal, pagamento aos fornecedores e compra de remédios, o que a partir de agora ficou inviável. 50% dos recursos do hospital vêm do pagamento municipal e isso agrava a situação da unidade. Por causa do não pagamento da prefeitura, não tivemos como pagar o salário nossos 500 colaboradores. Cabe ressaltar que o Hospital Plantadores de Cana é referência no interior do estado do Rio em atendimento à gravidez de risco, realizando em média 350 partos por mês”, afirmou a administração do hospital.

Já sobre os valores divulgados pela prefeitura em relação a investimentos e pagamentos feitos ao HPC, a administração do HPC esclareceu que o dinheiro foi usado para pagamento e medicamentos pelos serviços prestados anteriormente, no decorrer do ano. 

Mais falta de repasses - Na última sexta-feira (4), o Grupo Imne divulgou que os repasses que deveria receber foram suspensos pela Prefeitura de Campos e isso poderia prejudicar mais de cinco mil pacientes de alta complexidade.

​Sempre respeitando o princípio do contraditório e buscando as diferentes versões para um mesmo fato, o jornal Terceira Via tentou contato com a Prefeitura de Campos, sem obter respostas. Ainda assim, o jornal aguarda e publicará as versões que forem enviadas.​







Fonte: Terceira Via